No javascript ETIC | Melissa Rodrigues Melissa Rodrigues – ETIC

Pedir informações

    Melissa Rodrigues

    Diário de Bordo

    Diário de Bordo #4

    Aqui estamos de novo!
    Parece que ainda ontem escrevi o último diário de bordo, o que significa que o tempo tem passado mesmo rápido. Contudo, de facto, já muitas coisas aconteceram nesta primeira metade de Abril.
    Quis começar a envolver-me mais em atividades e acontecimentos sociais aqui na cidade, então logo no início de Abril decidi ir a uma sessão do Zine Club da Biblioteca Muntpunt. Neste clube fazem-se bandas desenhadas e ilustrações com todo o tipo técnicas e estilos, que variam conforme os artistas presentes em cada sessão. Adorei fazer esta atividade e rapidamente comecei a interagir com pessoas novas. Fiquei tristíssima por saber que aquela seria a última sessão desta temporada, e que só voltarão em outubro, mas ainda bem que fui!
    No dia seguinte, fui fazer um Creative Recce com a equipa do trabalho. Durou todo o dia, já que fomos visitar 2 castelos e um restaurante, mas foi bem divertido e interessante. No dia seguinte, fazer o relatório completo da visita não foi tão divertido, mas valeu super a pena!
    Nestes dias fui também visitar o Museu e a casa do Arquiteto Victor Horta, que é o responsável pelos mais belos edifícios de Arte Nova aqui em Bruxelas. Visitar a casa dele foi uma experiência muito boa e passei a admirar ainda mais o seu processo criativo e a sua obra. Infelizmente não pude tirar uma única foto no interior, mas isso fez-me ver tudo ainda com mais calma e admirar todos os pormenores da sua casa, para fixar tudo ao máximo na minha memória.
    O parque que saiu na bisca desta vez foi o Bois de la Cambre. E, meu deus, que parque! É enorme, tem caminhos e mais caminhos, um lago com uma ilha no meio (não fui à ilha, mas apreciei à distância), no extremo do parque há um castelo que virou café, e estúdios de diversas artes, tem um campo de golfe mais ao lado, e depois ainda continua literalmente por quilómetros numa floresta mais densa. Não cheguei a embrenhar-me na floresta porque já não tive tempo nem pernas para tanto, mas com certeza que hei de voltar para explorar essa parte.
    Por fim, tenho ido às sessões de curtas num festival que está a decorrer neste momento, o BIFFF – Brussels International Fantastic Film Festival. Tenho adorado todas as sessões e tenho visto curtas muito boas. O ambiente e todo o conceito do festival também é super interessante e diferente!
    Ironia das ironias, no trabalho fiquei com a responsabilidade recrutar novos estagiários para ajudarem em várias áreas na fase das rodagens. Estou também a fazer o Booklet de Produção, que sempre estimula um bocadinho mais o meu lado criativo, pois o design está 100% ao meu critério.
    Há que tentar ver sempre o lado positivo! E quando se vive rodeado por túlipas, não dá para ficar triste!

    Diário de Bordo #3

    Posso dizer que me sinto e movimento cada vez mais confiante na cidade.
    Nas duas últimas semanas tive a oportunidade de conhecer e explorar mais e novos sítios.
    Fui conhecer a Cinemateca de Bruxelas – Cinematek – e, entretanto, já lá voltei várias vezes para ver filmes. Também visitei o Museu Autoworld e o Museu Militar pois são bem próximos da minha casa. Obviamente que fui descobrir mais parques e jardins e nestas duas semanas estive no Jardim do Le Botanique, no Parque Josaphat (que é lindíssimo) e o Parque do Cinquentenário já quase que faz parte da rotina.
    Com a primavera a chegar, os narcisos estão a dar lugar às túlipas que também nascem por todos o lado e são de todas as cores e feitios. As árvores têm as folhas a crescer, algumas já a florir, e por isso tudo está a ficar mais colorido e vivo.
    Decidi ir a um concerto, cujo anúncio vi por acaso num placard do Brussels Chamber Choir e foi muito lindo. Aconteceu numa igreja não muito longe, e que graças à sua acústica, as vozes do coro projetavam-se lindamente. Foi uma surpresa e uma experiência super boa e especial. A igreja estava a transbordar de pessoas, e só foi pena as cadeiras serem pouco amigas das costas.
    No escritório, temos tido muitas reuniões de equipa, e um dos meus trabalhos tem sido assistir às reuniões para retirar anotações e fazer relatórios das mesmas com tudo o que foi discutido e decidido. Na semana passada também fui com parte da equipa visitar o Concert Noble, onde iremos gravar algumas cenas do filme.
    Mesmo que produção não seja a minha paixão, fazer parte deste processo e contribuir para a criação de um filme, e deste filme em particular, tem sido muito gratificante e sinto que estou a apender imenso com todos os meus colegas e com tudo o que tem acontecido à minha volta.
    Estou cada vez mais entusiasmada por ver as coisas aos poucos a materializarem-se e desejosa que as rodagens cheguem!

    Diário de Bordo #2

    Se me for permitido, quero dedicar esta entrada no diário de bordo ao sol.
    Não houve muito dias de sol nestas duas semanas, mas sempre que o céu fica limpo a cidade muda e tudo ganha mais cor e ânimo. O número de pessoas nas esplanadas dos cafés, na relva dos parques, e nas escadarias dos monumentos com a bochechas vermelhas e os olhos fechados aumenta exponencialmente. E é bonito de se ver. Tirei muitas fotos nos dias em que fez sol.
    Começo aos poucos a sentir-me mais à vontade na cidade. Visitei o Museu de Arte e História, o Museu de Ciências Naturais, e descobri outros cantinhos bonitos. Fui também ver filmes em duas salas de cinema independentes, Cinema Galeries e Cinema Nova, e adorei a experiência, as salas e os filmes!
    No trabalho, mudámo-nos oficialmente para o novo escritório, que tem mais espaço e luz. A equipa também tem estado a aumentar, o que é bom! Já contamos com o 1º assistente de realização, o Tom, e com o location scout de verdade (não eu ahah), o Ralph. No meio disto, o meu trabalho continua a ser mais de apoio à produção, nomeadamente, preenchendo e organizando diversas informações e documentos relativos ao filme.
    Algo que tem sido um pouco frustrante, e que também é importante mencionar, é o facto de toda a equipa falar holandês entre si, o tempo todo. Obviamente que compreendo que para eles seja mais prático e facilite a fluência do trabalho falarem na sua língua nativa. Contudo, ao fim de várias horas de trabalho conjunto, em que não percebo uma única palavra que é dita, o trabalho torna-se um pouco solitário. Acabo por não me conseguir envolver nas conversas, porventura contribuir qualquer coisa, ou sequer aprender sobre os processos paralelos que se estão a passar à minha volta porque, infelizmente para mim, entendo 0% de holandês. Já várias vezes tive vontade de pedir para falarem em inglês no escritório, mas a verdade é que tenho receio de o fazer. Talvez nos próximos tempos eu ganhe coragem…

    Diário de Bordo #1

    Passaram cinco dias desde que aterrei em Bruxelas.
    O sentimento é um misto entre parecer já ter passado uma eternidade, com tantas coisas que já aconteceram, e parecer ser ainda o primeiro ou segundo dia, pois tudo está ainda tão fresco e à flor da pele. Estou ainda à procura do conforto, da tranquilidade e da segurança de uma rotina, mas tudo se está a encaminhar.
    Fiquei aliviada por ter conseguido votar logo assim que cheguei, e foi reconfortante ser tão bem recebida no consulado português.
    Na produtora (Polar Bear), estou a trabalhar proximamente com a line-producer do filme no qual estou a colaborar (The Age of Magic), a Celine, e tive já a oportunidade de conhecer e conversar com o produtor e o realizador do filme, o Xavier e o Peter. Estamos na fase de pré-produção, pelo que, para já estou a fazer tarefas de produção.
    A primeira é fazer location scouting de possíveis décors para o filme, que sejam localizados especificamente em Bruxelas. Tem sido muito interessante e uma forma inesperada de conhecer melhor a cidade.
    Nesta primeira semana, foquei-me sobretudo em localizar e decorar caminhos para sítios importantes da cidade, isto é, o caminho para o trabalho, supermercado, farmácia, consulado, o jardim e o cinema mais perto, o café com bom chocolate quente e waffles.
    À parte disso, consegui ir visitar o Atomium, visitei algumas catedrais e edifícios estatais, e passeei em vários jardins, que nesta altura do ano, estão repletos de narcisos e outras flores.
    Até breve!

     

     

     

     

     

    Everything Is Now.
    Learn. Do. Create.
    BEGIN HERE Get Everywhere.
    Dare To Try.